sábado, 12 de setembro de 2015

Há exatos 25 anos as Ilhas Faroe surpreendiam não só a Áustria, mas todo o mundo

O gol marcado por Torkil Nielsen.
Imagem: FSF
12 de setembro é um dia especial para todos que acompanham o futebol faroês! Nessa data, há exatos 25 anos, as Ilhas Faroe venceu a Áustria por 1 a 0 pelas eliminatórias do Euro 1992 e surpreendeu o mundo. Aquela foi apenas a primeira partida oficial da história da landsliðið.

"Parece que foi ontem", disse o ex-goleiro Jens Martin Knudsen, um dos heróis da partida, ao Faroe Football. Knudsen foi o primeiro jogador faroês a ganhar uma certa fama fora das ilhas, não por suas habilidades embaixo das traves, mas por causa de um gorro que ele usava para esconder uma cicatriz que tem desde os 14 anos. Ele era chamado de "o goleiro com gorro de pompom" ou "the bobble hat goalkeeper".

Em razão da estrutura precária dos estádios faroeses na época, a partida teve que ser disputada em Landskrona, na Suécia, por sugestão da UEFA, já que o país estava classificado como anfitrião e não estava envolvido nas eliminatórias. Para a Áustria, que havia disputado a Copa do Mundo meses antes, o jogo parecia uma mera formalidade, pois os adversários além de não terem experiência alguma, eram completamente amadores.

"Dividimos [o jogo] em intervalos de cinco minutos e cada quinto minuto era uma vitória para nós. Foi assim que sobrevivemos", disse Knudsen. "O pensamento geral do time era que [uma derrota por] menos de 5 gols seria muito bom", completou o ex-goleiro.

Jens Martin Knudsen em ação pela seleção faroesa.
Como esperado, os austríacos dominaram a primeira parte, mas o gol não saiu. Os faroeses ainda tiveram seu momento de perigo, com Torkil Nielsen, mas ainda não era a hora de sua consagração. No segundo tempo, o jogo ficou mais tenso, a Áustria agora jogava também contra o relógio, e a cada minuto que passava a situação ia ficando dramática, um empate sem gols com as Ilhas Faroe já seria considerado um vexame.

Logo depois de um lance de muito perigo da seleção austríaca, que quase marcou com Kurt Russ, Nielsen disputou a bola com a defesa, escapou da falta e chutou rasteiro. 1 a 0 Ilhas Faroe.

"Torkil Nielsen skorar! Eitt null til Føroyar, eitt null til Føroyar!" gritou o eufórico e incrédulo narrador Árni Gregersen, tão alto que se fez ouvir até na outra transmissão.



A partir dali, a missão dos comandados de Páll Guðlaugsson (hoje técnico do TB) era segurar a vitória. Jogando no desespero da seleção austríaca, as Ilhas Faroe quase chegou ao segundo em contra-ataque, mas parou no goleiro Michael Konsel.

Veio o apito final, e o resultado foi tão chocante que o goleiro faroês não conseguiu nem mesmo dormir. "Julian Hansen e eu fomos para o vestiário fazer o exame antidoping, estávamos muito cansados, mas extremamente felizes e eufóricos", disse Knudsen. "Eu só percebi a grande sensação durante a noite, quando deitei na cama e não consegui dormir".

"Eu não dormi naquela noite de jeito nenhum. Foi um resultado muito grande para acreditar", concluiu o ex-goleiro do NSÍ.

Torkil Nielsen e Jens Martin Knudsen após o fim da partida.
Imagem: FSF
Melhores momentos:



Jogo completo:


Os 11 de Landskrona:

1. Jens Martin Knudsen
2. Jóannes Jacobsen (capitão)
3. Tummas Eli Hansen
4. Mikkjal Danielsen
5. Julian Hansen
6. Allan Mørkøre
7. Torkil Nielsen
8. Jan Dam
9. Abraham Løkin*
10. Kári Reynheim
11. Kurt Mørkøre

Técnico: Páll Guðlaugsson (Islândia)

*Conhecido na época como Abraham Hansen.

Nenhum comentário:

Postar um comentário